Brincadeiras tradicionais africanas – parte 2

Terra-mar (Moçambique)

Esse jogo é feito da seguinte maneira. Primeiro, deve-se riscar uma linha no chão, de preferência que dê pra ficarem todos os participantes nela. Num lado, escreve-se a palavra TERRA; no outro, MAR. A brincadeira começa com todas as crianças de um lado dessa linha; por exemplo, no lado TERRA. Ao ouvirem MAR, todas devem pular para o lado do MAR e vice-versa. Aquele que pular para lado errado sai da brincadeira e o vencedor é aquele que ficar por último.

Fogo na Montanha (Tanzânia)

Primeiro deve escolher um líder. Em seguida, os jogadores determinam uma palavra-chave. Vamos considerar a palavra “barco” como palavra-chave. Todos os jogadores devem ficar de costas para o líder. Ele começa o jogo gritando “Fogo na Montanha” e todos os jogadores pulam e respondem “Fogo!”, ainda de costas. Aí o líder grita “Fogo no rio!”, os jogadores gritam “Fogo!”, mas não pulam. O líder vai imaginando vários lugares diferentes para o fogo e sempre os jogadores devem responder “fogo” sem pular. Eles só devem pular se o líder gritar “Fogo na montanha”. A qualquer momento, ele pode falar a palavra-chave, como parte de uma frase, como “Fogo no barco azul”. Aí vem a parte mais divertida e engraçada, porque quando ele gritar isso, os jogadores devem pular e virar pra frente gritando “Fogo”. Aquele que errar os movimentos sai do jogo; o último que fica, é claro, ganha.

Ampe (Gana)

Primeiro tem que escolher um líder. Os outros participantes ficam organizados em forma de um semicírculo. A brincadeira começa quando o líder fica de frente para o jogador que está em uma das extremidades do grupo. Ele e esse jogador batem palmas, pulam, saltam e depois colocam um pé à frente. Se os dois colocarem o mesmo pé para frente, o líder está fora e este jogador fica no lugar dele. Se colocarem os pés diferentes, o líder permanece e vai para o próximo jogador e faz a mesma rotina. Um ponto é marcado cada vez que o líder é bem-sucedido. Cada jogador toma um rumo como líder e vence aquele que tiver mais pontuação.

Meu Querido Bebê (Nigéria)

Um jogador é escolhido e deve ficar de fora, para não ver o que os outros vão fazer. O restante escolhe outro para ser o bebê. Este, deve se deitar no chão para que seja feito o contorno do seu corpo. Depois, ele se junta aos demais e chamam aquele que foi retirado. O que saiu deve adivinhar a qual corpo aquele contorno pertence. Se acertar, ele pontua e continua em uma nova rodada. Se errar, outro jogador assumirá seu lugar. Vence aquele que tiver mais acertos.

 

 

 

Advertisements

Brincadeiras tradicionais africanas – parte 1

É sempre muito gostoso relembrar as brincadeiras da nossa infância. Mais gostoso ainda é perceber que muitas delas são mantidas pelas crianças até hoje. Aqui no Brasil, há vários jogos infantis que são ainda aproveitados pelos pequenos e que dão muita vontade de voltar a ser criança. É muito gostoso saber que, apesar do tempo e das modernidades, os jogos infantis são passados de geração a geração. Hoje, o Coração Africano separou algumas dessas brincadeiras tradicionais africanas. Afinal, na África as crianças também têm muitas diversões que são passadas de pais para filhos. Aliás, alguns desses jogos podem ser vistos em terras brasileiras também.  Falamos tanto de cultura aqui no blog, pois chegou a vez de dar espaço para a cultura infantil, saber o que os pequenos africanos gostam de fazer nos momentos de lazer. Vamos brincar!?

Banyoka

Banyoka

Este jogo é da Zâmbia. O espaço ideal pra ele é um terreno acidentado repleto de arbustos e pedras. Cada equipe precisa ter no mínimo seis pessoas, ou seja, o total de participantes são doze jogadores. Cada time se agacha segurando um no ombro do outro pra ficar num formato de “cobra”. O jogo consiste no seguinte: todos os jogadores de cada equipe tem que mexer o corpo pra trás e pra frente, como se fossem uma cobra rastejando pelo chão e ainda precisam desviar dos objetos que são colocados como obstáculos. E assim eles vão andando até um ponto pré-determinado por todos. Vence a equipe que não se separar até o ponto de chegada.

Kudoda

Kudoda

Esse jogo é bem parecido com um que temos no Brasil, a diferença é que não usamos a tigela, o restante é exatamente igual. O Kudoda é um jogo do Zimbábue, conhecido por todas as crianças de qualquer idade. Precisa ter no mínimo dois jogadores. Eles sentam-se em círculo e colocam uma tigela (pode-se fazer um círculo também pra deixar as pedras dentro) no meio da roda. Dentro dela são colocadas cerca de vinte pequenas pedras; cada jogador recebe uma pedra, que é a que vai ao ar quando começar a brincadeira. Cada participante tem a sua vez pra jogar. Ele joga a pedra que recebeu para o alto e, enquanto esta não cai, ele tem que pegar uma pedra dentro da tigela. Aquele que pegar o maior número de pedras de dentro do recipiente é o vencedor.

Até breve com mais brincadeiras africanas!

 

 

 

FONTE:

eHow Brasil

Parabéns, Angola, pelos 40 anos de independência

bandeira2

A Bandeira

A bandeira nacional da República de Angola foi adoptada em 1975, por altura da proclamação da Independência.

A Bandeira Nacional tem duas cores dispostas em duas faixas horizontais. A faixa superior é de cor vermelho-rubra e a inferior de cor preta e representam:

  • a) Vermelho-rubra – o sangue derramado pelos angolanos durante a opressão colonial, a luta de libertação nacional e a defesa da Pátria;
  • b) Preta – o Continente Africano

No centro, figura uma composição constituida por uma secção de uma roda dentada, simbolo da solidariedade internacional e do progresso.

A roda dentada, a catana e a estrela são de cor amarela que representa a riqueza do País.